15/01/2018

NEVOU NO DESERTO

Já viste as fotografias que estão a "circular" na internet da neve no Deserto do Sahara?

Apesar de serem mais um reflexo das alterações climatéricas que o planeta está a sofrer, é impossível não ficar de boca aberta ao vê-las. Que espanto, o insólito do contraste das cores.

Para quem não está a par do sucedido: na semana passada nevou num dos lugares mais secos do Mundo. Aconteceu na aldeia argelina de Ain Sefra, conhecida por ser uma das "Portas do Sahara" - e foi só a terceira vez em quarenta anos (as outras duas foram em 2016 e 1979).

A neve chegou a atingir, em alguns lugares, mais de trinta centímetros, mas derreteu ao fim de apenas um dia, por isso escusa o estimado leitor de fazer as malas e meter-se num taxi a caminho do aeroporto. Já não chegas a tempo, amigo.

Ficam as fotos, portanto. "Saquei" algumas da net, por isso os créditos a quem as tirou: Zineddine Hashas, Geoff Robinson e Hamouda Ben Jerad.







02/01/2018

O MELHOR DE 2017 - ESPANHA E FRANÇA

A convite de um amigo de Singapura, em Julho alugámos um carro e partimos para uma pequena roadtrip a Paris e Barcelona.

Foi uma viagem intensa e muito cansativa, pois apenas eu conduzi.

Mas valeu a pena: por um lado, revisitei Paris e Barcelona, que já conhecia de outras aventuras; por outro, tive a liberdade de fazer os desvios que quis - e por isso aproveitei para explorar alguns lugares novos. Em França, conheci finalmente o Mont Saint-Michel, atravessei o viaduto Millau e comprei queijo na aldeia pitoresca de Roquefort. Em Espanha, descobri a mais antiga praça de touros do país, (em Bejar, uma aldeia não muito longe de Salamanca), explorei caminhos inóspitos em Castela e realizei um sonho antigo: fui a Segóvia.

É curioso que, apesar de uma espécie de pacto que fiz comigo próprio, em que decidira não viajar na Europa nos próximos dez anos, a não ser que fosse alguma viagem inesperada ou com um motivo especial - e, logo este ano, revisitei três grandes cidades europeias: Paris e Barcelona, nesta roadtrip em Julho; e Londres, onde passei um dia inteiro quando estava a caminho da Islândia, em Setembro.

Promessas, curiosidades e conclusões à parte ;) ficam algumas fotos:










31/12/2017

O MELHOR DE 2017 - ISLÂNDIA

Este ano que agora acaba foi, definitivamente, fértil em estradas. E se as roadtrips de mota que fiz em Flores e na Sumatra Ocidental foram memoráveis, o que dizer da semana que passei com a minha mãe na Islândia.

Esta era uma viagem programada há algum tempo. Era para ter acontecido em 2016 e foi cancelada - e este ano cheguei a temer por novo adiamento... mas aconteceu. Alugámos um carro durante uma semana (quem me dera ter tido mais tempo!) e partimos à descoberta deste país onde eu nunca tinha estado.

Concentrámo-nos no sul: descobrimos glaciares e cascatas, passeámos em praias vulcânicas e explorámos aldeias vikings... que paisagens, que país! Simplesmente deslumbrante.

Soube a pouco. E espero voltar um dia:











27/12/2017

O MELHOR DE 2017 - SUMATRA

O espectacular mês que passei na Indonésia em Abril (em Bali, Flores e Lombok) foi, de certa forma, a consequência inesperada de uma semana que passei em Sumatra, logo em Janeiro.

Não foi uma viagem planeada. Fui ter com o meu primo Pedro a Kuala Lumpur e, com uma semana para fazer alguma coisa, sentámo-nos a comparar voos (tinham de ser baratos e rápidos) com previsões meteorológicas (queríamos fugir à chuva).

Acabámos por voar para Padang, na Sumatra Ocidental. E talvez porque não tínhamos quaisquer expectativas com esta parte da Indonésia, fomos surpreendidos com uma semana colorida e intensa qb.

Alugámos motas e, depois de uma volta rápida até às praias, aventurámo-nos numa "road trip" para explorar o interior. Aquilo que descobrimos... acho que vou deixar as fotografias falar. Muito, muito bom!









26/12/2017

O MELHOR DE 2017 - BALI

Antes da aventura de quinze dias em Flores, fui ter com a minha amiga Catarina a Bali e passámos uma semana juntos: primeiro nas comemorações do Nypei; depois a passear pela ilha, de mota.

Há alguns anos que tinha curiosidade em testemunhar este festival de Bali: durante um dia inteiro, esta ilha maioritariamente hindu fica em absoluto silêncio. É proibido sair à rua, fazer barulho, acender as luzes. É que, diz quem sabe/acredita, os demónios sobrevoam o céu balinense nesse dia - e por isso é preciso fazer com que a ilha pareça desabitada, para que estes percam o interesse em ficar.

O Nyepi foi, sem dúvida, uma experiência interessante: primeiro, porque na noite anterior há coloridas paradas com monstros e demónios, no meio de uma multidão ao rubro; depois, porque esse Dia do Silêncio serve para meditar e pensar na vida, fazer contas aos dias - é muito, muito zen.

Quanto ao resto da semana... só rir.

Bali não é propriamente uma novidade, para mim - mas em cima de uma mota, há sempre tanto para explorar. E, na companhia certa, pode ser memorável. Foi o caso.

Ficam alguns momentos, nesta selecção de 2017 que pretendo continuar a fazer nos próximos dias:












21/12/2017

O MELHOR DE 2017 - FLORES

A aventura de duas semanas que vivi em Flores foi, sem dúvida, a experiência que mais me marcou em 2017.

Sem grandes planos, decidi passar um mês na Indonésia, em Abril. Comecei por encontrar a minha amiga Catarina, passámos uma semana juntos em Bali; e depois voei para Flores, onde passei quinze dias. A semana final passei-a em Lombok, num bungalow, a escrever o meu livro novo.

Flores!

Foram duas semanas a atravessar esta ilha maioritariamente católica, no maior país muçulmano do mundo. Fui, literalmente, de uma ponta à outra: desde Labuhan Bajo até Larantuka. Conheci o mítico Dragão de Komodo, fiz snorkeling e trekking, visitei aldeias tradicionais - nalgumas interagi com pessoas que nunca tinham visto um turista! Explorei grutas, praias e as crateras de um vulcão espectacular com lagoas coloridas. E, no final, assisti/participei na impressionante celebração da Semana Santa, um evento imperdível que, entre outras coisas, inclui uma procissão de barco, no mar!

Inacreditável.

E porque todas as palavras são poucas, deixa-me partilhar algumas imagens destas duas semanas em Flores: